Após fechar delação, hacker suspeito de invadir celulares de autoridades deixa a cadeia

O estudante de Direito Luiz Molição estava preso na Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal desde setembro

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2019 16h07
Jose Lucena/Futura Press/Estadão ConteúdoA Operação Spoofing, deflagrada pela Polícia Federal, identificou os responsáveis pelo hackeamento de celulares de autoridades

A Justiça Federal determinou nesta quarta-feira (4) a liberação da Luiz Henrique Molição, um dos suspeitos de envolvimento na invasão de celulares de autoridades, entre as quais o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores da força-tarefa da Lava Jato. A informação é do G1.

A libertação acontece no dia seguinte ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, homologar a delação de Molição.

O estudante de Direito foi preso na segunda fase da Operação Spoofing, em setembro, na cidade de Sertãozinho, no interior de São Paulo.

De acordo com PF, Molição integrava o grupo de hackers que teve acessoa a contas do aplicativo de mensagens Telegram das autoridades.

Na ocasião, outro preso na Operação Spoofing, o hacker Walter Delgatti Neto, conhecido como Vermelho, admitiu à Polícia Federal que entregou as mensagens obtidas ao site The Intercept Brasil.

Com a homologação da delação de Molição, a Justiça confirma a punição negociada entre o suspeito e os órgãos de investigação em troca de informações que forneceu.