Após ordem de prisão, advogados de João de Deus vão pedir habeas corpus

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2018 21h20 - Atualizado em 14/12/2018 21h21
Marcelo Camargo/Agência Brasil Médium de 63 anos alega inocência

A defesa de João de Deus anunciou nesta sexta-feira (14) que vai entrar com um pedido de habeas corpus em benefício do médium, acusado de abuso sexual por mais de 300 pessoas em sete países diferentes. A justiça de Goiás determinou a prisão preventiva de João, medida considerada “ilegal e injusta” pelo advogado Alberto Toron.

“A impetração do habeas corpus não exclui a apresentação do senhor João de Deus”, afirmou o defensor, indicando que o médium deve se entregar à polícia. Toron, no entrando, não definiu quando seu cliente irá às autoridades. “Só agora tive acesso à decisão. Apenas alguns depoimentos, de poucas vítimas, acompanham o pedido de prisão, sem nomes.”

Outro membro do corpo de defesa, o advogado Thales José Jayme, disse que João não deve se entregar ainda nesta sexta. “Ele vai se apresentar, precisa se apresentar, não há outro caminho que não seja esse. Eu falei com alguns familiares [do médium] que estão em Anápolis [GO] para ver a possibilidade, mas não seria hoje, com certeza.”

As acusações contra o médium, que diz realizar tratamentos e “cirurgias espirituais” por meio de entidades que “incorpora”, surgiram no sábado (8), quando um programa de televisão conversou com vítimas. Em todos os casos, João levava a mulher para uma sala reservada para sessão em busca de milagres, o que acabava evoluindo para toques e estupros.

*Com informações da Agência Brasil