Após quase quatro horas de discussão, CCJ não avança com PEC da segunda instância

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2019 22h43
Fátima Meira/Estadão ConteúdoMovimentação durante debate sobre a PEC que possibilitaria a prisão após a 2ª instância, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara dos Deputados em Brasília (DF), nesta segunda-feira (11)

Depois de quatro de horas de discussão e outras quatro de atraso, a Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ) não avançou com a proposta de emenda constitucional que trata da prisão em segunda instância. A reunião, que estava marcada para às 14h, teve início às 18h20.

Até às 22h, apenas dois requerimentos de obstrução foram votados pelos deputados presentes. Houve muita discussão e bate-boca no plenário.

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, protagonizou um momento de embate. Em uma fala de menos de 15 minutos, durante a votação de um requerimento de obstrução, ele atacou o PT e disse para a oposição que ele pode ser eleito governador.

O líder do PT, Paulo Pimenta (RS), rebateu as acusações e disse que elas “são absolutamente falsas e mentirosas”. Os parlamentares debateram ainda durante um bom tempo, mas não conseguiram fechar um acordo para votar outros projetos que estão na pauta.

Uma nossa sessão foi convocada para a próxima quarta-feira, às 9h da manhã.

*Com informações de Estadão Conteúdo