Após ser chamado de traidor, Bolsonaro diz a policiais que vai ‘resolver o caso’

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2019 11h32
Marcos Corrêa/PRLíder do governo na Câmara, no entanto, disse que Bolsonaro já tentou intervir, mas não conseguiu

Depois de ter sido chamado de traidor por policiais civis e federais, que querem ser incluídos no texto de reforma da Previdência das Forças Armadas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, nesta quarta-feira (3), que pretende auxiliar a categoria nessa questão. “Vou resolver o caso de vocês, viu?”, afirmou, durante um evento em São Paulo.

Apesar da declaração, o líder do PSL na Câmara dos Deputados, Waldir Soares, disse hoje em entrevista ao Jornal da Manhã que Bolsonaro até já tentou intevir, telefonando para o relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP) e para o para o líder do governo na Câmara, major Vitor Hugo (PSL-GO), mas “não conseguiu convencer nem o relator, nem Rodrigo Maia (DEM-RJ) [presidente da Câmara] e nem Rogério Marinho [secretário especial da Previdência].”

Parte da bancada de policiais do PSL na Câmara ameaçou não votar a reforma da Previdência caso as demandas da classe não sejam atendidas. Os parlamentares ligados ao setor de segurança pública querem regras mais brandas de aposentadoria para a categoria do que as previstas atualmente na proposta.

*Com Estadão Conteúdo