Após velório e cerimônia de cremação de neto, Lula deixa São Bernardo e retorna a Curitiba

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2019 13h05
Ricardo Galhardo/Estadão ConteúdoSem falar com a imprensa, Lula pôde ficar com a família por poucas horas e às 13h teve de voltar a Curitiba, onde está preso na Superintendência da Polícia Federal

O ex-presidente Lula deixou a cidade de São Bernardo do Campo na tarde deste sábado (02) após comparecer ao velório e cremação do neto Arthur Araújo Lula da Silva, de sete anos, vítima de meningite meningocócica.

Sem falar com a imprensa, Lula pôde ficar com a família por poucas horas e às 13h teve de voltar a Curitiba, onde está preso na Superintendência da Polícia Federal. O petista saiu pela porta dos fundos do cemitério Jardim das Colinas.

A chegada do ex-presidente

ex-presidente Lula chegou por volta das 11h deste sábado (02) a São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Do Aeroporto de Congonhas, na capital, Lula embarcou em um helicóptero da Polícia Militar rumo a São Bernardo.

Lula teve, entretanto, o direito de passar apenas uma hora e meia com sua família durante o velório. O período de permanência do ex-presidente na cerimônia foi definido em acordo com autoridades para que ele pudesse deixar a prisão.

A informação foi divulgada neste sábado (02) por Rosane Silva. Ela integra o diretório nacional do PT e é uma das coordenadoras da vigília realizada por militantes em Curitiba. Segundo ela, Lula participou da negociação dos termos para que deixasse a prisão e fosse ao velório do neto.

Presença de amigos, políticos e familiares

Entre familiares e amigos da família Lula, também estão presentes no velório do menino Arthur militantes e políticos, entre eles Fernando Haddad, Dilma Rousseff, Rui Falcão, Eduardo Suplicy, Guilherme Boulos, Ivan Valente, Carlos Zarattini, Alencar Santana e outros.

entrada dos militantes foi liberada no cemitério. Os militantes foram solicitados para que não se manifestassem dentro do local, em respeito a Lula e a sua família. Antes da liberação, dezenas de apoiadores se aglomeravam na entrada do cemitério para prestar solidariedade. Eles ficaram em silêncio na maior parte do tempo. A maioria também não trajava camisas ligadas a Lula ou ao PT, nem portava bandeiras.

Os apoiadores de Lula se manifestaram apenas em momentos pontuais, como quando foram provocados por um apoiador do presidente da República, Jair Bolsonaro, que apareceu vestindo uma camiseta da campanha.

Autorização para ida a velório

Autorizado pela Justiça, o ex-presidente Lula deixou a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, na manhã deste sábado (02), para seguir a São Paulo para acompanhar o velório e enterro de seu neto de sete anos.

O governo do Paraná disponibilizou aeronave para o transporte do ex-presidente a São Paulo. Por volta das 7h o petista já estava a caminho do aeroporto para seguir rumo a São Paulo. O trajeto que Lula faria do aeroporto em São Paulo até São Bernardo, onde seu neto é velado, não tinha sido divulgado.

O artigo 120 da Lei de Execução Penal prevê que os condenados poderão obter permissão para sair do estabelecimento onde estão presos, sob escolta, em razão de “falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão”.

Morte de Arthur

Arthur Araújo Lula da Silva, que morreu aos 7 anos , vítima de meningite meningocócica. Os pais da criança são Marlene Araújo Lula da Silva e Sandro Luis Lula da Silva, filho do petista com a ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Os pais do menino são Marlene Araújo Lula da Silva e Sandro Luis Lula da Silva, filho do petista com a ex-primeira-dama Marisa Letícia.

De modo geral, a meningite é caracterizada pela inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença pode ter diversos agentes causadores como vírus e bactérias. Entre os sintomas estão febre, dor de cabeça, vômitos, náuseas, rigidez de nuca e manchas avermelhadas na pele.