Apreensão de armas em rodovias sobe 33,6% em 2017, diz PRF

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2018 11h23 - Atualizado em 19/01/2018 12h17
Divulgação-PRFNesta quinta (18) foram apreendidos 19 fuzis e 41 pistolas na via Dutra, Rio de Janeiro

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou nesta sexta-feira (19) que o número de armas apreendidas em rodovias em 2017 subiu 33,6% em relação ao ano anterior. Foram 2.089 armas de fogo e 189.632 munições apreendidas (aumento expressivo de 147,3%).

Além disso, foram apreendidas 344,9 toneladas de maconha (aumento de 56,5%), 9,3 toneladas de cocaína (+ 40,4%), 1,45 tonelada de crack e 9,4 toneladas de cigarros contrabandeados.

Foram recuperados também 7 mil veículos e apreendidos 50,9 m³ de madeira irregular. Nessas operações da PRF, foram presas 38.339 pessoas.

Em entrevista coletiva nesta sexta, o delegado Antonio Vital, coordenador-geral de operações da PRF disse que se houvesse mais efetivo de policiais nas ruas, as apreensões poderiam ser maiores (veja no final do texto). Ele classificou o órgão como uma “polícia diminuta, de 10 mil policiais”.

Segundo Vital, “o volume de entrada (de drogas) no país é o grande responsável pelo aumento de apreensões”. “As apreensões passaram a ser em toneladas”, disse o delegado.

Acidentes

Segundo a PRF, a violência no trânsito caiu em 2017. Foram 6.244 pessoas mortas em rodovias federais no ano passado, 2,7% a menos que em 2016, em meio a 89,3 mil acidentes (menos 7,5%) e 83,9 mil feridos (menos 13,8%).

Em 2016, houve 96.590 acidentes, resultando na morte de 6.419 pessoas e deixando 87 mil feridos.

Causas e tipos

A principal causa dos acidentes é a falta de atenção (38,5%, ou 34,4 mil acidentes), velocidade alta (11,6% ou 10,4 mil acidentes) e ingestão de álcool (7,2% ou 6,4 mil acidentes).

O tipo de acidente que mais ocorreu em 2017 foi o de colisão traseira, responsável por 18% dos acidentes, seguido de saída de pista, com 17,5%. Apesar disso, o tipo de acidente que mais resultou em mortes foi a colisão frontal, em que morreram 1.904 pessoas no ano passado (30% do total).

A colisão frontal é o tipo de acidente que causa a maior proporção de mortes. Foram 4.960 acidentes que deixaram 8.379 pessoas feridas e as 1,9 mil mortas. “Significativamente uma colisão frontal acontece muitas vezes pela falta de atenção, pelo cansaço, um cochilo, e é o que causa o maior número de mortes”.

Atropelamento de pedestres é a segunda maior causa-mortis em rodovias: foram 1.032 óbitos e 3.450 feridos em 3.610 atropelamentos.

Por Estado

O maior número de acidentes ocorre no Estado de Minas Gerais (14,4 mil, ou 16%), seguido de Paraná (11 mil) e Santa Catarina (10,6 mil).

Já a quantidade de mortos em rodovias segue com a liderança de Minas (834 óbitos, ou 13,3%) e Paraná (653 mortes), mas tem o surgimento da Bahia na terceira posição, com 612 óbitos, ou 9,8% do total.

Segundo o delegado Vital, a concentração de acidentes nestes Estados se deve ao maior número de veículos e à maior malha viária. Ele afirmou que “não espera alteração” nesse quadro.

Fiscalização e multas

No Brasil, em 2017, foram fiscalizados pela PRF 6,6 milhões de veículos e 7,1 milhões de pessoas. Foram ainda realizados 2,2 milhões de testes de alcoolemia em motoristas  e o número de motoristas flagrados dirigindo embriagados foi de 19.085, que representa um aumento de 6,9% em relação a 2016.

Destes, 5.994 motoristas foram presos, pois apresentaram índice de álcool no sangue além da infração, configurando-se crime de trânsito.

Foram aplicadas no ano passado 5,8 milhões de multas (aumento de 4,8% nos autos de infração em relação a 2016). Destas, 2,3 milhões foram por excesso de velocidade em até 20%, 500 mil por excesso de velocidade  e 224 mil por ultrapassagem proibida.

Já a falta do uso do cinto de segurança, tanto por motoristas quanto por passageiros, resultou em 213.356 autos de infração em todo o ano passado.

Farol durante o dia

Regra criada recentemente, no final de 2016, não acender o farol durante o dia resultou na autuação de 905 mil carros.

Dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) mostra que a frota nacional de veículos cresceu 11,6% nos últimos três anos. Em 2017, eram 96,8 milhões de carros, caminhões e motos nas ruas contra 93,8 milhões no ano anterior.

A PRF disponibiliza em seu site o relatório com tabela com os dados das apreensões e acidentes por Estado brasileiro. Confira AQUI.

Assista à coletiva de apresentação dos números da PRF:

Polícia Rodoviária Federal (PRF) apresenta balanço 2017

#AoVivoAcompanhe a apresentação do balanço de fiscalização, acidentes e apreensões da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em 2017:

Publicado por Ministério da Justiça e Segurança Pública em Sexta, 19 de janeiro de 2018