Araújo admite ser ‘trumpista’ e diz que visita aos EUA arrancou ‘espinho cravado’

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2019 14h58
Agência BrasilMinistro negou que ser 'trumpista' signifique alinhamento automático à agenda de Trump

O ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, reconheceu na manhã desta segunda-feira, 8, que admira o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e que o fato de ser considerado “trumpista” é legítimo. Ele também rebateu às críticas à sua visita e a do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos e disse o antiamericanismo é um “espinho cravado” nos brasileiros.

“Dizem que somos trumpistas, o que é um pouco verdade. Admiro muito o presidente Trump e as mudanças que ele trouxe aos Estados Unidos”, afirmou Araújo, durante reunião com conselheiros da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O ministro negou, no entanto, que isso significa um alinhamento automático com a agenda de Washington.

Além de trumpista, o chanceler é seguidor assumido do pensamento do ex-presidente americano Ronald Reagan. “Admiro muito os princípios de patriotismo e abertura econômica que Reagan introduziu”, disse.

Araújo rebateu ainda as críticas à visita do presidente Jair Bolsonaro e dele a Trump, há duas semanas. Para o ministro, esta rejeição é fruto de um “antiamericanismo, um espinho encravado na nossa carne”.

“O presidente e eu fomos lá e arrancamos este espinho. E isso dói. Mas quando cicatrizar, as pessoas vão ver que era necessário arrancar”, disse o ministro.

Na sequência, ele refutou a tese de alinhamento automático. “O que há é um desejo de rotulagem dos críticos”, comentou.

*Com informações do Estadão Conteúdo