Assessoria da Fazenda nega existência de carta de demissão de Levy

  • Por Agência Estado
  • 16/10/2015 17h37
BRASILIA, DF - 05.01.2015: ECONOMIA-GOVERNO - Cerimônia de transmissão de cargo do Ministério da Fazenda. O novo ministro Joaquim Levy assume no lugar de Guido Mantega, que está viajando e não participou da cerimônia, sendo representado pelo secretário executivo e ministro interino Paulo Caffarelli, no auditório da sede do Banco Central, nesta segunda-feira. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress) Pedro Ladeira/Folhapress Joaquim Levy assume Ministério da Fazenda

A assessoria do Ministério da Fazenda informou nesta sexta-feira (16) que não há uma carta de demissão do ministro Joaquim Levy. Há rumores de que o ministro tenha redigido uma carta de demissão. O ministro cancelou sua ida à São Paulo e está, nesta tarde, reunido com a presidente Dilma Rousseff e a Junta Orçamentária (Casa Civil e Planejamento).

Em jantar com a presidente Dilma Rousseff na noite de quinta-feira (15) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer que Levy, tem “prazo de validade”. No encontro com Dilma, ele pediu mudanças na política econômica para sair da crise e defendeu o afrouxamento do ajuste fiscal.

Levy e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, são alvos constantes do ex-presidente. O Diretório Nacional do PT vai se reunir no próximo dia 29, em Brasília, e cobrará, mais uma vez, a substituição do ministro da Fazenda, além de um “novo eixo” para a política econômica, com crescimento e distribuição de renda.

No mercado financeiro, os investidores reagiram negativamente hoje às notícias de que Levy poderia ser demitido. Ainda mais porque não se sabe quem poderia substituí-lo e, pior, se a atual política de ajuste fiscal continuaria. O dólar à vista negociado no balcão subiu 1,05%, aos R$ 3,8400, interrompendo uma série de duas sessões de perdas, influenciado também pelo exterior. Na semana, houve alta acumulada de +2,64%.