Ataque a escola em Suzano: Moro liga para Doria

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2019 13h48 - Atualizado em 13/03/2019 13h53
Marcelo Gonçalves/Estadão ConteúdoA informação é da comentarista Vera Magalhães. Segundo ela, Moro garantiu o apoio do Governo Federal para as investigações e suporte às famílias das vítimas

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, telefonou ao governador de São Paulo, João Doria, para transmitir solidariedade pelo ataque a tiros que deixou 10 mortos na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, nesta quarta-feira (13).

A informação é da comentarista Vera Magalhães. Segundo ela, Moro garantiu o apoio do Governo Federal para as investigações e suporte às famílias das vítimas.

Já o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, telefonou para o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, para prestar solidariedade e oferecer o apoio do Governo.

Enquanto isso, horas depois do ataque, o presidente Jair Bolsonaro ainda não havia se manifestado sobre o assunto, seja com Doria ou pelas redes sociais. Nos canais oficiais do Palácio do Planalto, nenhuma nota oficial foi divulgada até a publicação desta reportagem.

Governador Doria em Suzano

Após cancelar sua agenda e seguir para Suzano, onde dois atiradores mataram ao menos oito pessoas, o governador João Doria (PSDB) disse que ficou “muito impactado” com a cena vista na escola estadual Raul Brasil nesta quarta-feira (13).

Cena mais triste que já assisti em toda a minha vida”, disse o tucano aos jornalistas presentes no local. “Ao chegar fui ao local e fiquei consternado com o que vi aqui. A minha solidariedade a essas famílias, aos feridos”.

Atiradores

De acordo com o comandante-geral da PM, coronel Salles, os atiradores utilizaram um revólver calibre 38 e uma “besta”, semelhante a um arco e flecha, além de recarregamento de revólveres.

Há a suspeita de que eles também teriam levado ao local artefatos explosivos, o que já está sendo averiguado pelo GATE. Por volta das 13h, a Polícia confirmou o nome dos dois atiradores. São eles: Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Ambos cometeram suicídio em seguida. A informação é de que, pelo menos, um deles seria ex-aluno da escola.

O atentado

Dois homens dispararam contra alunos e funcionários dentro da escola estadual Raul Brasil, no Jardim Imperador, em Suzano, na Grande São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13). A Polícia Militar confirmou a morte de oito pessoas, além dos dois atiradores que se mataram.