Autor acredita que CPI da Lava Toga pode ser aberta no primeiro semestre

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2019 16h19
Divulgação/Senado"A primeira etapa é a negociação. Se ela não se confirma, vamos com outras estratégias mais agressivas", disse Alessandro Vieira

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), autor do requerimento da CPI da Lava Toga, acredita que o projeto pode ser colocado para votação ainda neste primeiro semestre. De acordo com o parlamentar, esse é o desejo demonstrado inclusive pelo presidente da Casa, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“O compromisso do presidente é de fazer a apresentação para o plenário desse recurso ainda neste semestre. Existe uma pauta de projetos prioritários que ele apresentou que acho razoável, mas, em seguida, tem que ter a apreciação do recurso porque é interesse da sociedade”, disse à Jovem Pan.

Questionado se há alguma estratégia montada caso o presidente não instale a CPI, o senador respondeu que a primeira etapa é sempre a da negociação, mas que, se ela falhar, considera, sim, outras hipóteses. “A gente parte da confiança no compromisso. A primeira etapa é a negociação. Se ela não se confirma, vamos com outras estratégias mais agressivas de cobrança.”

Vieira é autor ainda dos pedidos de impeachment apresentados contra o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e o ministro da Corte Alexandre de Moraes. Em relação a esse projeto, a apreciação depende de mudanças internas no regimento — mas ele também aposta em uma apreciação em breve.

“O atual regimento prevê que essa é uma decisão solitária do presidente. É muito poder concentrado numa pessoa só, muita responsabilidade. Hoje tem uma política de engavetamento que se arrasta há décadas. Temos uma resolução do senador Lasier Martins (Podemos-RS) para mudar isso e levar essa responsabilidade à Mesa para dividir o ônus e permitir que possamos cumprir nossa obrigação constitucional. É outro compromisso que vem sendo cobrado para apreciação nesse semestre”, concluiu.

*Com informações do repórter Antonio Maldonado