Avião presidencial é pilotado pela primeira mulher a integrar esquadrão de defesa de fronteiras

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2019 16h39
DivulgaçãoCapitão aviador pilotou caça de ataque ao solo em 2011

O Airbus A-319 que será utilizado pelo presidente Jair Bolsonaro ao longo do mandato é pilotado por uma mulher. Há dois anos, a aeronave presidencial voa sob o comando de Carla Borges, capitão aviador da Força Aérea Brasileira (FAB).

Carla foi a primeira mulher a integrar o chamado Esquadrão Escorpião. Sediado em Boa Vista (RR), esse grupo aeronáutico é responsável pela defesa aérea de fronteiras – função que a capitão cumpria a bordo de um avião “Super Tucano”.

Ela está no posto desde dezembro de 2016 e foi escolhida pelo conselho operacional da força armada, que é composto por três chefes de esquadrão. Bolsonaro compartilhou a informação, publicada em rede pela Secretaria de Aviação Civil.

Pioneira

De acordo com Aeronáutica, Carla Borges foi a primeira mulher a chegar à chamada “primeira linha” da aviação de caça. Há cerca de oito anos, realizou seu primeiro voo solo, em um avião usado em missões de ataque ao solo.

Em toda a história do Brasil, somente em 1982 a FAB passou a ter uma primeira turma feminina. Depois disso, as mulheres ganharam postos de mais distinção, passando das cabines de pilotagem ao comando de órgãos militares.