Bancada do PT no Congresso se recusa a dialogar com Bolsonaro após discurso de posse

  • Por Jovem Pan
  • 02/01/2019 14h21
DIDA SAMPAIO - ESTADÃO CONTEÚDOMinistro tentou minimizar falas duras do presidente em discurso de posse e deputados petistas endureceram discurso

O novo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, responsável pela articulação política do presidente Jair Bolsonaro, propôs um “pacto” com a oposição ao militar reformado no Congresso, mas recebeu resposta negativa. Após o discurso de posse nesta terça-feira (1), o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta, disse que não haverá diálogo. “Quem quer dialogar não faz o que o Bolsonaro fez na posse ontem A posse foi um ato de hostilidade e de propagação de ódio”, cravou.

O deputado petista do Rio Grande do Sul endureceu o discurso contra o presidente alegando que o tom do discurso foi de enfrentamento. “O Bolsonaro tem que aprender primeiro que, quando ele abre a boca, tem consequência. Não adianta mandar o funcionário desfazer o que o chefe fez”, disparou.

Para o petista, o diálogo só será possível se Jair Bolsonaro “aprender a ter uma postura que não apresentou até hoje”, disse. Pimenta não foi o único petista na Câmara que se negou a conversar com o novo governo.

Carlos Zarattini, eleito por São Paulo, disse que a proposta de Lorenzoni não apaga os discursos anteriores de Bolsonaro e que o pacto estava mais para “a gente dar o pescoço e eles a corda”. Ele ressalta que Bolsonaro não se mostrou tão disposto a conversar quanto seu articulador fez parecer, “Por enquanto, o discurso de Bolsonaro não é de entendimento, é de confrontação”, concluiu.

*com informações do Estadão Conteúdo