Bancário está desaparecido após cair no Rio Tietê

  • Por Caio Menezes/Jovem Pan
  • 23/02/2019 21h04
Reprodução/FacebookUlysses Silva da Rocha caiu no Rio Tietê nesta quinta-feira (21)

O bancário Ulysses Silva da Rocha, de 31 anos, está desparecido desde a noite desta quinta-feira (21), quando caiu no Rio Tietê na altura do km 18 da rodovia Ayrton Senna, na região de Guarulhos, na Grande São Paulo.

De acordo com Florisa Silva da Rocha, irmã de Ulysses, o rapaz estava voltando de uma confraternização com amigos do trabalho. Ele chamou um amigo de infância, que é motorista de aplicativo, para levá-lo para casa, em Itaquaquecetuba. O bancário, no entanto, pediu para o motorista parar no meio do caminho alegando estar passando mal. Ele desceu do carro para vomitar e urinar, mas, ao pular uma mureta, acabou caindo no Rio Tietê.

Em contato com a família, o motorista Alex Ferreira de Castro mostrou como era o lugar onde Ulysses caiu. “Ele pulou pensando que era grama”, disse.

Florisa contou que o irmão foi promovido no início do ano e a confraternização era uma festa de despedida dos colegas de trabalho. A família ficou sabendo do acidente por causa do motorista, que ligou para o marido de Flor e também registrou um boletim de ocorrência no 24º DP, na Ponte Rasa.

Buscas

Segundo a irmã de Ulysses, a família não está conseguindo atualizações sobre as buscas com o Corpo de Bombeiros. “Eles falaram que estão buscando o dia inteiro, mas não dão posição. A gente liga lá e não sabem responder”, desabafou.

Ela contou que seu pai foi acompanhar o trabalho dos agentes neste sábado (23). “Eles colocaram o bote na água às 10h, às 13h já tiraram o bote. Depois que a gente começou a divulgar nas redes sociais, chegou um caminhão às 16h30, mas às 18h30 já estavam tirando o bote da água de novo”, disse Flor. O pai dela e de Ulysses conseguiu um barco e prometeu procurar pelo filho por conta própria neste domingo (24).

Em contato com a Jovem Pan, o Corpo de Bombeiros de São Paulo confirmou que Ulysses ainda não foi encontrado e as buscas deverão ser retomadas neste domingo. A corporação ainda explicou que as técnicas de buscas, assim como a duração, os equipamentos e o número de agentes envolvidos, varia de caso a caso.