Barroso acata pedido da PF e prorroga inquérito que investiga Temer por 60 dias

  • Por Jovem Pan
  • 27/02/2018 17h36
EFEPresidente Michel Temer é investigado em inquérito que apura irregularidades no decreto assinado em maio, que supostamente beneficiou a empresa Rodrimar

O ministro do STF, Luís Roberto Barroso, decidiu prorrogar, por 60 dias, o inquérito do Decreto dos Portos, que investiga o presidente Michel Temer. A prorrogação do prazo atende ao pedido do delegado da Polícia Federal, Cleyber Lopes. Além disso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge também já havia se manifestado favorável à decisão.

Barroso também ressaltou o pedido para que o diretor-geral da PF, Fernando Segovia, não interfira no inquérito e se abstenha de qualquer pronunciamento sobre o caso. Vale lembrar que as recentes declarações de Segovia à Agência Reuters recomendando o arquivamento do processo gerou mal-estar entre os delegados da Lava Jato e membros do judiciário.

Recebimento de propina

O presidente Michel Temer é acusado de receber vantagens indevidas da empresa Rodrimar. Temer teria assinado um decreto no setor portuário, que beneficiaria diretamente a empresa. O inquérito foi aberto em maio de 2017, após as delações do proprietário do grupo J&F, Joesley Batista e Ricardo Saud, executivo da JBS.