Base de Temer na Câmara cai para menos de 350 deputados após delação da JBS

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2017 08h27
Brasília- DF 16-06-2016 Presidente interino, Michel Temer, durante pronunciamento a imprensa. Foto Lula Marques/Agência PTMichel Temer - Agência PT

Diante do agravamento da crise política nos últimos dias, o presidente Michel Temer viu sua base aliada na Câmara dos Deputados diminuir. Muito por conta das delações do grupo JBS.

PSB, PPS, PTN e PHS, que juntos somam 66 deputados anunciaram nos últimos dias que iriam compor a oposição. No entanto, é comum que nem todos os deputados, por exemplo, sigam a orientação do partido.

O Governo, no entanto, vê diminuir sua base nas bancadas, que antes era de 413 dos 513 deputados, já considerando PT, PCdoB, PDT, PSOL e Rede como oposição. O número de parlamentares que compõem a base aliada do Governo Temer hoje caiu para 347.

Desde a divulgação das delações de Joesley Batista, alguns partidos determinaram sua saída da base. Este foi o caso do PSB, com 36 deputados, que passou, inclusive, a defender a renúncia do peemedebista. O partido tem um ministro no Governo: Fernando Bezerra, na pasta de Minas e Energia.

O PPS, com dez deputados, não está mais na base e disse que irá votar de acordo com o que for melhor para o País. A sigla tinha o comando de dois ministérios: Cultura e Defesa. Enquanto Roberto Freire abandonou o cargo (Cultura), o ministro Raul Jungmann permanece com Temer na pasta da Defesa.

O Podemos (antigo PTN) afirmou em nota que defende que as instituições devem ser reconstruídas com base na “transparência” e em “princípios éticos e morais”. A sigla tem 13 deputados.

O PHS chegou a apresentar um dos pedidos de impeachment de Michel Temer. O partido tem sete deputados compondo a bancada.

Dois partidos ainda permanecem na base, mas ressaltam que suas posições estão sendo avaliadas e que suas permanências dependerão do que acontecer no Governo. São eles: PSDB e DEM.