Bicudo diz que mérito do impeachment é do povo e mostra preocupação com Temer

  • Por Estadão Conteúdo
  • 12/05/2016 09h52
Reprodução/Youtube Jurista Hélio Bicudo durante entrevista no Roda Viva

Assim que o Senado encerrou a votação e aceitou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o jurista Hélio Bicudo divulgou uma carta repercutindo a decisão. Demonstrando profunda preocupação com a formação do novo ministério interino de Michel Temer, Bicudo, que participou da fundação do PT, é um dos signatários do pedido de afastamento da petista que culminou nesta quinta-feira (12), no afastamento por até 180 dias da presidente. 

Bicudo inicia a carta dizendo: “está consumado”… “A partir de agora, Dilma Rousseff está afastada da Presidência da República, para onde certamente não haverá de voltar”. O jurista salienta que o “mérito dessa luta vitoriosa pertence ao povo, não aos partidos”.

Ele afirma que está muito feliz por perceber que a iniciativa de três cidadãos, ou seja, ele, a professora Janaína Paschoal e o jurista Miguel Reale Jr., tenha chegado a “bom termo, levando a efeito a vontade de milhões de brasileiros indignados com a corrupção e a incompetência de Dilma, Lula e PT”.

Apesar de sua satisfação com a decisão do Senado Federal, o jurista faz questão de externar “preocupação com as mais recentes notícias sobre a formação do novo governo”. 

“O povo brasileiro foi às ruas para repudiar a cleptocracia comandada pelo PT. O povo brasileiro não foi às ruas para sofrer mais desapontamentos.” Ele salienta que a crise que o Brasil atravessa é tão grave quanto é diminuta a paciência do povo com a classe política, sem exceções.

Bicudo encerra o texto afirmando: “Oxalá saibam os homens públicos atender ao justo clamor popular por decência”.