BNDES é responsável por 1/3 das fontes onerosas do saneamento básico

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2019 12h21 - Atualizado em 21/11/2019 18h16
Marcello Casal Jr/Arquivo Agência BrasilO marco regulatório do saneamento básico pode ser votado na Câmara dos Deputados na próxima semana, se pautado por Rodrigo Maia

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) é, atualmente, um dos maiores investidores no setor do saneamento básico brasileiro.

Em entrevista à Jovem Pan, a chefe do Departamento de Saneamento Ambiental do BNDES, Laura Bedeschi, falou sobre a sua participação no painel de financiamento no World Toiller Summit – o maior evento de saneamento básico da América Latina, que acontece pela primeira vez na capital paulista.

De acordo com a Laura, o banco de fomento é responsável por cerca de R$ 900 milhões dos R$ 26 bilhões investidos anualmente no setor.

“Desse total de recursos, muito pouco é financiado. Muito é feito com o caixa das próprias empresas, outra com recursos do próprio Governo e apenas uma parte com financiamentos. O BNDES é um terço das fontes onerosas desse financiamento.”, explica.

Laura também trouxe a questão de que o investimento privado no setor é muito pequeno. “Hoje o mercado privado é muito pequeno no saneamento – menos de 10%. Com o marco regulatório vão ter novas concessões, vai atrair o mercado privado.”

Com isso, a chefe do Departamento de Saneamento Ambiental do banco de fomento levantou a importância de debater o marco – que pode ser votado na Câmara dos Deputados na próxima semana, se pautado por Rodrigo Maia.

“O marco regulatório vai trazer uma transição que vai elevar os investimentos para outra escala. No saneamento você pode ter mais de 5 mil agências reguladoras, porque cada município pode ter a sua. Atualmente são 50”, diz Laura.

“Com o marco esse número vai permanecer, mas a supervisão regulatória ficará a cargo da ANA (Agência Nacional das Águas). Isso traz segurança tanto para o investidor privado tanto quanto para o financiador”, finaliza.