Bolívar Lamounier critica populismo de Lula e tentativa de dividir o País

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2018 15h39 - Atualizado em 07/04/2018 15h44
EFEO ex-presidente criticou a imprensa e a justiça brasileira em seu discurso

O cientista político Bolívar Lamounier criticou a demora para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregar à Polícia Federal, que era para ter acontecido até às 17h da última sexta-feira. Lula, porém, permanece no Sindicato dos Metalúrgicos até a tarde deste sábado (7). Lamounier lamentou o tom populista do ex-presidente e a tentativa de dividir o País.

O especialista não ficou surpreso com o tom do discurso do ex-presidente, que aconteceu no início da tarde deste sábado. Para ele, Lula fez o mais do mesmo: atacou a imprensa e a justiça brasileira.

“O tom populista do discurso foi mais forte, mas o conteúdo foi o de sempre: ataca a justiça e a imprensa, o ‘nós contra eles’. O que estamos vendo é um estilo populista que chega ao grotesco, como na história da missa, algo ridículo que eu nunca tinha presenciado na minha vida”, disse em entrevista exclusiva à Jovem Pan.

“Uma pseudo homenagem à memória da Marisa Letícia. É o estilo populista que o Lula utiliza, algo para dividir o País. Essa divisão agora é em termos geográficos. No Sul ele não conseguia nem andar. De São Paulo para cima ainda tem apoio, agressões a não petistas, prédio da Cármen Lúcia pichado”, completou.

Ele ainda apontou que o ex-presidente parece estar favorável a criar um confronto direto entre os policias e as pessoas que estão no local o apoiando.

“O PT faz tudo isso para dizer que não são cidadãos comuns do Brasil, por alguma razão merecem um tratamento diferenciado. O Moro deu todas as regalias para que ele não ficasse constrangido. Várias vezes a Gleisi disse que a polícia teria que entrar no sindicato para prender o Lula. É a tentativa de gerar um cadáver, só assim ele vai se entregar”, completou.

Confira a entrevista completa