Bolsonaro anuncia que vai fechar parcialmente fronteira do Brasil com a Venezuela

Tráfego de mercadorias continua liberado

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2020 18h45 - Atualizado em 18/03/2020 14h37
Alan Santos/PRPresidente voltou a dizer que não é preciso ter "histeria" com o novo coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira (17) que vai fechar parcialmente a fronteira do Brasil com a Venezuela, em Roraima, que, segundo ele, é a “mais sensível”. A medida será anunciada amanhã, no Diário Oficial da União (DOU).

O presidente esclareceu, no entanto, que “são 17 mil quilômetros de fronteira”, ou seja, não será possível limitar completamente o tráfego de pessoas. Além disso, a circulação de mercadorias continua livre.

“Eu não quero criticar nenhum governador, alguns estão tomando medidas positivas, outros, no meu entender, estão se excedendo. Publica no ‘Diário Oficial da União’ de amanhã a questão de fechar em especial a fronteira da Venezuela, que é a mais sensível. Agora, alguns acham que a palavra ‘fechar fronteira’ é uma palavra mágica. Se a gente tivesse poder de fechar a fronteira como muitos pensam, não teria entrada de arma nem de droga no Brasil”, afirmou em entrevistas a jornalistas na saída do Palácio do Planalto.

“Não é um fechamento total. O tráfego de mercadorias vai continuar acontecendo. Porque separa Roraima. Se você fecha o tráfego com a Venezuela, a economia de Roraima desanca. A mesma coisa a Venezuela em parte também tem esse tráfego de mercadorias conosco. Não tem como tomar medidas radicais. Não vai dar certo”, acrescentou Bolsonaro.

O presidente voltou a dizer que não é preciso ter “histeria” com o novo vírus. “Se for para a histeria, fica todo mundo maluco. As consequências serão as piores possíveis. Em alguns países já têm saques acontecendo, isso pode vir para o Brasil. Pode ter aproveitamento político disso, mas a gente não quer pensar nisso daí, mas tem que ter calma. Vai passar. Desculpa aqui. É como uma gravidez, um dia vai nascer a criança. O vírus ia chegar aqui um dia e acabou chegando.”

O governador de Roraima, Antonio Denarium (Sem partido), tem pedido há dias o fechamento imediato da fronteira do Estado com a Venezuela e Guiana.

*Com Agência Brasil