Bolsonaro sugere cancelamento de captação da Ancine para filme sobre sua própria campanha

Documentário teria recebido R$530 mil de recursos públicos e será feito por mesmo diretor de obra sobre Olavo de Carvalho

  • Por Jovem Pan
  • 25/07/2019 18h57 - Atualizado em 25/07/2019 19h18
Marcos Corrêa / Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, através do Twitter, que pediu para cancelar a captação de recursos públicos para um filme sobre sua própria campanha ao Planalto.  O documentário teria conseguido autorização para receber R$530 mil da Agência Nacional do Cinema (Ancine).

“Recentemente tomei conhecimento sobre a liberação para captação de R$ 530 mil via Ancine para produção de um filme sobre minha campanha nas eleições. Por coerência sugeri que voltassem atrás nessa questão”, escreveu. “Não concordamos com o uso de dinheiro público também para estes fins.”

A produção, que tem o título provisório “Nem Tudo se Desfaz”, será dirigida pelo cineasta Josias Teófilo, autor do filme “O Jardim das Aflições”, sobre o ideólogo Olavo de Carvalho.

Na publicação, o presidente voltou a dizer que está estudando alterações na estrutura da Ancine ou o próprio encerramento das atividades do órgão. “Outrossim, estamos trabalhando para viabilizar uma reformulação ou extinção da Ancine”, escreveu.

O presidente já havia sugerido que poderia extinguir a agência, caso não pudesse exercer um “filtro” sobre o que seria escolhido. “Conversamos e nos resolvemos sobre a Ancine. Não posso admitir dinheiro para filme da Bruna Surfistinha. Não sou contra a opção de ninguém, mas ativismo é o que nós não podemos permitir, em respeito às famílias”.