Bolsonaro contradiz ministro do Turismo e afirma que presidente da Embratur foi demitida

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2019 19h42
Alan Santos/PRMarcelo Álvaro havia informado que a própria Bezerra tinha entregado sua carta de demissão

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais na noite desta quinta-feira (28) para comentar brevemente a saída da ex-deputada Teté Bezerra da presidência do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Através de uma transmissão ao vivo no Facebook, ele contradisse a versão de Bezerra e disse que ela não pediu demissão, como havia sugerido, mas, sim, foi demitida.

“No dia de ontem chegou a meu conhecimento que na semana que vem a Embratur patrocinaria um jantar. Acho que o Alceu Valença cantaria, se não me engano. Sabe o preço desse jantar? R$ 290 mil. E você ia pagar a conta! O que fizemos? Entramos em contato com o ministro do Turismo, falei para ele cancelar o jantar e, tendo em vista o tamanho do descalabre, cancelar também a função da responsável pela Embratur. Ela foi exonerada hoje. Página virada. Não dá para admitir um gasto dessa ordem. É um deboche”, afirmou.

Durante a tarde, no entanto, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, havia divulgado um comunicado informando que a própria Bezerra tinha entregado sua carta de demissão. “O ministro aceitou o pedido de exoneração encaminhado pela presidente do Instituto Brasileiro de Turismo – Embratur, ex-deputada Teté Bezerra, nesta quinta-feira (28). Ele agradece os trabalhos prestados e deseja sucesso nas próximas missões”, diz a nota, ressaltando que o próximo presidente será um nome “alinhado com a gestão do presidente Jair Bolsonaro, que preza pela austeridade, economicidade e eficiência”.

Teté é casada com o também ex-deputado federal Carlos Bezerra (MDB-MT) e havia sido nomeada no cargo em maio do ano passado, ainda durante o governo de Michel Temer.