Bolsonaro defende porte de armas: ‘O povo deve se defender daqueles que ousem tirar a sua liberdade’

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2019 17h46
Hélvio Romero/Estadão ConteúdoSuspensão do decreto que flexibiliza o porte e a posse de armas deve ser votado nesta quarta-feira (18)

Um dia antes do plenário do Senado Federal votar sobre a suspensão do decreto que flexibiliza o porte e a posse de armas, o presidente Jair Bolsonaro postou em sua página no Twitter, nesta segunda-feira (18) um vídeo defendendo o armamento. “O povo deve ter o direito às armas para se defender daqueles que ousem tirar a sua liberdade”, escreveu.

No vídeo, ele afirmou que “tem algo muito mais valioso que nossa vida: a nossa liberdade”.

“Além das Forças Armadas defendo o armamento individual de nosso povo para que tentações não passem na cabeça de governantes para assumir o poder de forma absoluta. Temos exemplos na América Latina e não podemos repeti-los. Confiando no povo e nas Forças Armadas esse mal cada vez mais afasta de nós”, declarou.

A líder do partido no Congresso, Joice Hasselman (PSL), também se manifestou a favor. A deputada publicou um vídeo em seu Twitter onde aparece abrindo o porta-malas de seu carro, tirando uma arma de dentro e treinando tiro em um clube.

CCJ rejeitou parecer

Por 15 votos a 9, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado rejeitou na última quarta-feira (12) o parecer do senador Marcos do Val (Cidadania-ES) que defendia a manutenção do decreto do presidente Jair Bolsonaro que alterou as regras de uso de armas e de munições, facilitando o porte.

Em seguida, a comissão aprovou um relatório alternativo do senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) que pede a suspensão do decreto. A matéria, agora, segue para o plenário e, de acordo com Bolsonaro, deve ser votada nesta quarta-feira (17).