Bolsonaro diz que ‘caixa-preta’ do BNDES já foi aberta e evita comentar auditoria

Apuração custou R$ 48 milhões aos cofres públicos

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2020 15h28
Fabio Motta/Estadão ConteúdoAuditoria interna não apontou irregularidades

O presidente Jair Bolsonaro evitou comentar a auditoria interna do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que prometia abrir a “caixa-preta” da instituição, mas não apontou irregularidades. A apuração custou R$ 48 milhões aos cofres públicos.

“A caixa-preta já foi aberta, bilhões gastos em outros países”, disse o presidente. Em seguida, encerrou a coletiva de imprensa sem responder outras perguntas.

O relatório do BNDES não apontou nenhuma evidência direta de corrupção em oito operações com a JBS, o grupo Bertin e a Eldorado Brasil Celulose, realizadas entre 2005 e 2018. O valor foi pago a um escritório estrangeiro, o Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, que subcontratou outro brasileiro, o Levy & Salomão.

A assessoria do BNDES informou que o relatório de oito páginas é uma resumo crítico da auditoria e que outro parecer, “mais robusto”, foi entregue às autoridades.

* Com informações do Estadão Conteúdo