Bolsonaro diz que crise na Venezuela pode encarecer os combustíveis no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2019 15h27
Valter Campanato/Agência BrasiBolsonaro reuniu-se com o ministro de Relações Exteriores e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência

O presidente Jair Bolsonaro reuniu-se, nesta quarta-feira (1), com o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, general Augusto Heleno, para discutir a situação da Venezuela. Segundo Bolsonaro, a crise no país pode elevar os preços do petróleo e encarecer os combustíveis no Brasil.

“Uma preocupação existe sim. Com essa ação, com embargos, o preço do petróleo, a princípio, sobe, e nós temos de nos preparar, dada a política da Petrobras de não intervencionismo nessa parte. Poderemos ter um problema sério dentro do Brasil como efeito colateral do que acontece lá na Venezuela”, admitiu.

O presidente, no entanto, reforçou a política da Petrobras e disse que vai “conversar” para se “antecipar” a problemas externos. “A política de reajuste adotada pela Petrobras é essa, e vamos conversar para nos antecipar a problemas de fora que vieram de forma bastante grave aqui para dentro do Brasil.”

Nesta terça-feira (30), Bolsonaro assegurou que uma intervenção militar brasileira no Brasil é “quase impossível”. “Não é nossa tradição e entendemos que há muito espaço ainda para conseguir, de forma pacífica, restabelecer a democracia”, disse. Ele apoiou o líder opositor e autoproclamado presidente Juan Guaidó.

A Venezuela teve todo o dia de ontem marcado por enfrentamentos entre forças do governo e da oposição, tendo como ponto mais grave o atropelamento de civis por um blindado da Guarda Nacional.

* Com informações do Estadão Conteúdo