Bolsonaro diz que mudanças para policiais devem ser feitas por lei complementar

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2019 19h56
Marcos Corrêa/PREssas categorias seriam contempladas em um novo Projeto de Lei Complementar (PLC) a ser editado após a promulgação da reforma

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta terça-feira (9), que provavelmente o destaque que tratava das categorias da segurança pública na votação da reforma da Previdência ficará fora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Essas categorias seriam contempladas em um novo Projeto de Lei Complementar (PLC) a ser editado após a promulgação da reforma.

Nesta terça-feira (9), a Câmara deve analisar o texto-base da reforma. Bolsonaro tem atuado, desde a semana passada, para viabilizar regras mais brandas para policiais federais no texto final. Eles pedem os mesmos benefícios que os militares.

O presidente afirmou ainda que os policiais “nunca tiveram privilégio”. “Todo mundo está colaborando de uma forma ou de outra com essa questão da previdência, mas privilégio essa classe nunca teve”, disse.

Em outro momento, Bolsonaro disse que “nunca é tarde para desfazer possíveis injustiças” no texto da reforma. “Uma ou outra categoria se sente prejudicada, é justo o reclame deles e o que se fala em possíveis transições”, declarou.

Ele voltou a elogiar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e afirmou que acredita que a reforma será aprovada em dois turnos no Plenário da Casa até o próximo sábado. “Eu sei que o Rodrigo Maia quer o melhor para o Brasil, por isso está empenhado na aprovação dessa nova Previdência.”

* Com informações do Estadão Conteúdo