Bolsonaro diz que vai demitir presidente dos Correios: ‘Agiu como sindicalista’

Segundo Bolsonaro, o presidente dos Correios posou para fotos com parlamentares de esquerda e falou contra a privatização da empresa

  • Por Jovem Pan
  • 14/06/2019 11h55
Marcos Corrêa/PR/Flickr Palácio do PlanaltoEm café da manhã com jornalistas, Bolsonaro disse que ainda não sabe quem substituirá Cunha no cargo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, nesta sexta-feira (14), que vai demitir o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paulo Cunha. Segundo ele, o motivo da saída do cargo é Cunha ter agido como um “sindicalista”

Em um café da manhã com jornalistas, Bolsonaro criticou o comportamento do comandante dos Correios em uma audiência pública na Câmara dos Deputados. Ele afirmou que Cunha posou para fotos com parlamentares da oposição e falou contra a privatização da estatal, um de seus projetos de governo.

Na última sexta-feira (7), Bolsonaro defendeu a venda dos Correios em uma publicação em sua conta no Twitter. Para ele, a menor participação do Estado pode melhorar e baratear os serviços públicos. Em abril, o presidente autorizou estudos para a desestatização da companhia.

Segundo Bolsonaro, ainda não se sabe quem vai ocupar o cargo de Cunha.

Segunda demissão em dois dias

Na quinta-feira (13), Bolsonaro também demitiu o ministro da Secretaria de GovernoCarlos Alberto dos Santos Cruz. Ele vinha sofrendo um processo de desgaste e era alvo de críticas do escritor Olavo de Carvalho e do filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ).