Por determinação judicial, Bolsonaro pede desculpas a Maria do Rosário

  • Por Jovem Pan
  • 13/06/2019 14h47 - Atualizado em 13/06/2019 14h57
Marcelo Camargo/Agência BrasilPresidente disse que "relembrou fato ocorrido em 2003, em que foi injustamente ofendido pela congressista"

O presidente Jair Bolsonaro postou, em sua página do Twitter nesta quinta-feira (13), uma nota de retratação direcionada à deputada federal Maria do Rosário (PT). Segundo ele, a intenção é “pedir publicamente desculpas pelas falas passadas dirigidas à deputada”.

O texto refere-se a um episódio ocorrido em 2014, em que Bolsonaro, em meio a uma discussão entre parlamentares, chegou a dizer para a Maria do Rosário: “Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece”.

O presidente justificou que falou isso “no calor do momento” e que “relembrou fato ocorrido em 2003, em que foi injustamente ofendido pela congressista” que o “chamou de estuprador”. Ele explicou que, na ocasião, “havia acabado justamente de defender, no plenário, uma pena mais severa aos autores de estupro e crimes contra a dignidade sexual”.

“Estava, portanto, exatamente defendendo as vítimas destas práticas repugnantes de estupro e demais crimes sexuais, tendo sido esta sempre uma luta constante nos meus anos de parlamentar”, completou.

Confira a nota na íntegra:

Condenação

Em 23 de abril deste ano, a juíza Tatiana Dias da Silva Medina, da 18ª Vara Cível de Brasília, condenou Bolsonaro a pagar R$ 10 mil para a deputada federal, em razão dos episódios. O presidente também teria de se retratar em um jornal de grande circulação e nas redes sociais.