Bolsonaro: regime militar ‘pode ter sido difícil’, mas ‘na economia foi 10’

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2019 17h34
Alan Santos/PRPresidente participou do lançamento da Semana do Brasil, que tem como objetivo "estimular o sentimento de patriotismo"

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (3), em solenidade de lançamento da Semana do Brasil no Palácio do Planalto, que, durante o período da Ditadura Militar, instituída em 1964, “algumas coisas podem ter sido difíceis”. No entanto, segundo ele, “na economia, no amor ao próximo e à pátria e no respeito à família, foi dez”.

“Depois de 64 vivemos aquela fase perfeitamente identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas. Quem falou isso foi um tal de Roberto Marinho [proprietário do Grupo Globo de 1925 a 2003]. Aquele período pode ter sido difícil em alguma coisa, mas na economia, no amor ao próximo e à pátria e no respeito à família, foi dez”, disse Bolsonaro, alfinetando a emissora.

De acordo com ele, depois disso “vieram outros presidentes, e saudar a bandeira, cantar o hino nacional, passou a ser algo reprovável”.

Sobre a Semana do Brasil 

A Semana do Brasil tem como ideia “estimular o comércio como forma de enaltecer o Dia da Independência, celebrado no dia 7 de setembro, e o sentimento de patriotismo”.

Segundo o governo, há 4.680 empresas e entidades que vão participar ativamente oferecendo descontos, promoções e benefícios aos consumidores. Além de empresários varejistas, também participarão das ações veículos de comunicação. A inspiração são as ações feitas no dia 4 de julho nos Estados Unidos, como parte das comemorações da independência daquele país.

Afagos a Mourão

O presidente voltou a defender a soberania brasileira sobre a Amazônia e declarou que este é o maior símbolo que temos no Brasil. Nas últimas semanas, Bolsonaro tem acusado alguns presidentes, como o da França, Emmanuel Macron, de desrespeitar a soberania brasileira por ter interesse “em ter um espaço no nosso País”.

Ele afagou, ainda, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, ao comentar que o empresário Flávio Rocha quase foi o seu vice. “Faltou a gente namorar mais. Mas não faltaram oportunidades para a gente compor o nosso governo. Nada contra o Mourão, muito pelo contrário, estou muito feliz de ter o Mourão comigo, meu colega de artilharia”, disse.