Bolsonaro: Respeito STF e Congresso abertos e transparentes

  • Por Jovem Pan
  • 20/04/2020 09h45 - Atualizado em 20/04/2020 10h23
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoAinda aos jornalistas, o presidente declarou que não vai aceitar provocações baixas e vai transmitir a verdade

O presidente Jair Bolsonaro conversou com jornalistas na manhã desta segunda-feira (20) na porta do Palácio da Alvorada. Questionado sobre sua presença em atos no domingo (19), Bolsonaro alegou que a pauta era “dia do Exército, povo na rua e volta ao trabalho” e que “todo movimento tem infiltrados”.

Ele negou apoiar qualquer ato pedindo o fechamento do Congresso ou STF. “Aqui não tem essa de fechar Congresso, STF. É a minha casa, a sua casa. Aqui é democracia, respeito à Constituição. Supremo aberto, transparente. Congresso aberto, transparente. O povo está no governo.”

Bolsonaro enfatizou que não tomou providências contra a imprensa e liberdade de expressão. “Estão tentando levar a opinião pública falando que eu quero retrocesso. Eu já sou o presidente da República — e com apoio do povo. Estou conspirando contra quem? Falta um pouco de inteligencia aos que me acusam de ser ditatorial.”

Ainda aos jornalistas, o presidente declarou que não vai aceitar provocações baixas e que pretende transmitir a verdade. “O povo quer voltar ao trabalho. É isso e mais nada. Qualquer coisa além disso é tentativa de incendiar uma nação que está dentro da normalidade. No que depender de mim, é democracia e liberdade acima de tudo.”

Ele se declarou contra as medidas tomadas em alguns municípios de prender quem descumpre o isolamento social, como aconteceu em Araraquara, no Estado de São Paulo, e no Rio de Janeiro.

“Eu sou, realmente, a Constituição. Tenho conduzido o Brasil orientado e fiel aos interesses do povo. Nada do que eu faço é contra. Onde estou errando?”, questionou.

Fim da quarentena

Jair Bolsonaro destacou que, a cada ponto percentual de decrescimento do Brasil, as consequências serão maiores. “Desde o começo estou falando que devemos tratas do vírus e do desemprego de forma simultânea. Tudo o que é feito em excesso acaba tendo problemas.”

De acordo com ele, 70% da população vai ser infectada pelo novo coronavírus. “Vocês querem que eu minta? Vai ficar 10 anos preso em casa? Não adianta correr disso, é uma verdade.”

“Meu papel é preservar a liberdade do povo brasileiro. Não sabemos o que vai acontecer. Povo com fome, passando necessidade, com filho doente. Espero que essa seja a ultima semana dessa quarentena dessa maneira. A massa não tem como ficar em casa porque a geladeira está vazia”, disse.