Bolsonaro sobre Frota: ‘Sei nem quem é esse’

  • Por Jovem Pan
  • 15/08/2019 10h43 - Atualizado em 15/08/2019 10h45
Michel Jesus/ Câmara dos DeputadosDeputado foi expulso do partido do presidente na última terça-feira (13)

Dois dias depois da expulsão do deputado Alexandre Frota (SP) do PSL, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, nesta quinta-feira (15), que não conhece o parlamentar. “Sei nem quem é esse”, garantiu, ao deixar o Palácio da Alvorada, em Brasília.

Concretizado na terça-feira (13), o pedido de expulsão partiu da deputada Carla Zambelli, também do PSL, que que disse que a situação estava “insustentável” com o colega. Entre os motivos do desconforto estão as críticas feitas por Frota tanto ao partido como à Bolsonaro.

O parlamentar disse publicamente, por exemplo, que não concordava com a nomeação do filho de Bolsonaro, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Em outra ocasião, se mostrou indignado com as falas do presidente, e disse que os aliados do governo só tiveram paz em dois momentos desde a posse: “quando o Twitter ficou fora do ar e quando Bolsonaro tirou o dente”.

Ele também se absteve da votação do segundo turno da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, mesmo tendo sido um dos principais articuladores da sigla durante a tramitação do projeto da casa. Relembre aqui todas as críticas feitas por Frota.

Apesar da expulsão, o deputado não vai perder o mandato, que poderá ser concluído em outra sigla. Ele já tem convites de filiação a outros partidos, como o DEM.

“Filtro ideológico”

Na quarta-feira (14), Bolsonaro exigiu da sigla a criação de um “filtro ideológico” para barrar críticos internos e eleições de desalinhados ao governo. A medida foi vista como um gesto de “purificação” do partido, que tenta se associar ainda mais à imagem do presidente. Além de “filtrar” novos filiados, a sigla quer “enquadrar” os que não seguirem à risca as diretrizes internas.

Fora das redes

A expulsão de Frota já estava sendo articulada desde o mês passado. No sábado (10), o parlamentar desativou seus perfis nas redes sociais. A medida foi vista como uma “prevenção” aos ataques que poderia vir a sofrer com a expulsão. No Facebook, Frota tinha 1,1 milhão de seguidores. No Twitter, somava 170 mil.