Bolsonaro tem alta, mas Mourão segue interino por mais 2 dias, diz porta-voz

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2019 11h53
Reprodução/FacebookO presidente passou por uma cirurgia para corrigir uma hérnia; essa foi a quarta operação desde que levou uma facada no ano passado

Após receber alta do Hospital Vila Nova Star, onde está internado há oito dias, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) retornará a Brasília ainda nesta segunda-feira (16). De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, a saída deve acontecer no período da tarde, após sessão de fisioterapia.

Apesar da alta, o presidente, no entanto, só deve reassumir o cargo na quinta-feira (19). Até lá, o presidente em exercício continua sendo o general Hamilton Mourão. A previsão era de que Bolsonaro retomasse o cargo já nesta terça-feira (1&) mas, segundo Rêgo Barros, a decisão foi tomada por orientação médica, para que ele tenha “um descanso maior e uma recuperação mais rápida.”

De acordo com o diretor-médico do hospital, Antônio Antonietto, Bolsonaro permanece com uma dieta cremosa e foi suspensa a alimentação endovenosa, diretamente na veia. “A evolução da dieta vai ser dada conforme a recuperação em domicílio”, afirmou.

Viagem a Nova York

O porta-voz confirmou que está mantida a viagem de Bolsonaro a Nova York, onde discursará na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), no dia 24 de setembro. A ida do presidente, no entanto, foi adiada do dia 22 para o dia 23. O retorno está previsto para o dia 25, depois de uma parada no Texas para, segundo Rêgo Barros, encontrar-se com empresários ligado ao setor militar.

De acordo com o porta-voz, o diálogo será para entender as possibilidades “de o Brasil, por meio dessa interlocução, efetuar alguma atividade comercial.”

Antes da viagem aos Estados Unidos, a equipe médica do Hospital Vila Nova Star que acompanha o presidente deverá ir a Brasília realizar uma avaliação. Bolsonaro “vai exercer a Presidência da República entendendo as necessidades de adequar-se a eventuais limitações”, disse o porta-voz, que também confirmou que Bolsonaro deverá viajar à Ásia no final de outubro.

Antes do procedimento cirúrgico, o presidente declarou que iria “até de maca” discursar sobre a Amazônia.