‘Se cambada tivesse chegado ao poder em 64, estaríamos f…’, diz Bolsonaro em vídeo

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2020 17h50 - Atualizado em 22/05/2020 18h03
Marcos Corrêa/PRVídeo foi divulgado nesta sexta-feira (22), após autorização do ministro do STF Celso de Mello

O presidente Jair Bolsonaro faz referências, no vídeo da reunião ministerial do dia 22 divulgado nesta sexta-feira (22), após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), à ditadura militar instaurada no Brasil em 1964.

“O General Heleno [ministro do GSI] sabe o que é 64, muitos não sabem. Essa cambada que tentou chegar ao poder em 64, se tivesse chegado ‘nós’ tava ‘f…’. Cortando cana e ganhando 20 dólares por mês”, afirma, fazendo referência aos grupos de esquerda que lutavam contra o regime.

Bolsonaro diz ainda que quer armar o povo “porque não quer uma ditadura” e declara que, quem não aceitasse as suas pautas, como o armamento e a defesa da família brasileira, poderia sair do governo. “Quero todo mundo armado. Povo armado não será escravizado.”

Em outro momento do vídeo, o presidente cita o Ato Institucional nº 5 ao comentar as manifestações realizadas nos últimos meses que contaram com defensores do regime militar.

“O AI-5, o que é o AI-5 acabou no Brasil. O Brasil não tem mais AI-5, isso é bobagem de gente que não entende a Constituição. Quando o Partido Comunista faz suas convenções com Fidel Castro, não tem problema. Quando um coitado levanta uma placa de AI-5, eu tô me lixando pra aquilo! Artigo 142, todo mundo quer cumprir Artigo 142. Quem houver necessidade, em qualquer um dos poderes, pode pedir as Forças Armadas para restabelecer a ordem.”