Três bombeiros morrem em incêndio na Whiskeria Quatro por Quatro

O Corpo de Bombeiros do Rio informou que vai abrir sindicância para apurar o ocorrido

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2019 16h16
Reprodução/FacebookQuatro por Quatro, no centro do Rio

Três bombeiros morreram durante combate a um incêndio na boate Whiskeria Quatro por Quatro, no centro do Rio, nesta sexta-feira (18).  Um quarto bombeiro foi levado para o Hospital Souza Aguiar, também no centro da capital fluminense, em estado grave.

O Corpo de Bombeiros do Rio informou que vai abrir sindicância para apurar o ocorrido.

“Equipes de assistentes sociais já estão em contato com os familiares das vítimas. O CBMERJ está consternado com a notícia e se solidariza com parentes, amigos e colegas de farda”, disse a corporação por meio de nota.

Extraoficialmente, em grupos de bombeiros em redes sociais, circula a versão de que o fogo já estava controlado, na fase de rescaldo e, por isso, os soldados estavam sem equipamento de proteção.

No entanto, um vazamento de gás que não tinha sido percebido teria provocado uma explosão e um desabamento parcial, atingindo os militares que estavam dentro do imóvel.

O fogo começou por volta das 11h30. O casarão antigo, sede da boate, estava vazio e o fogo foi rapidamente controlado num primeiro momento. A rua Buenos Aires, no trecho entre a avenida Rio Branco e a rua da Quitanda, foi interditada pelos Bombeiros, e os prédios ao lado, evacuados.

O VLT teve o tráfego interrompido, e a fumaça tomou a avenida Rio Branco, a Candelária e ruas próximas.

Trabalhadores das empresas que funcionavam nas imediações permaneceram no local para acompanhar o trabalho dos agentes contras as chamas. Quatro caminhões e outros três veículos dos Bombeiros foram mobilizados para apagar o incêndio. Depois do incidente que resultou nas mortes, a fumaça negra aumentou, indicando que o fogo aumentara.

Até o fim da tarde, os bombeiros continuavam a trabalhar. No Twitter, a corporação informou que está de luto. “Toda a nossa solidariedade para os familiares, amigos e colegas de farda.”

*Com informações do Estadão Conteúdo