Brasil está em fase de extinção da terceira onda da Covid-19, diz Fiocruz

Boletim divulgado aponta queda dos indicadores de incidência e mortalidade em decorrência do coronavírus; casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) também diminuíram

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2022 19h38 - Atualizado em 08/04/2022 19h54
SANDRO PEREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Homem faz teste de Covid-19 em Manaus Homem faz teste gratuito de Covid-19 em Manaus

Um boletim divulgado pelo Observatório Covid-19 da Fiocruz nesta sexta-feira, 8, alega que a terceira onda da Covid-19 no Brasil está em fase de extinção. Segundo o grupo da instituição que monitora o andamento da pandemia no país, há uma “manutenção da tendência de queda” dos indicadores de “incidência e mortalidade” do vírus respiratório. A diminuição também ocorre nos casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG). Segundo o documento, em outros períodos críticos da pandemia, “98% das internações por SRAG eram positivas para Covid-19, proporção que hoje se encontra em 50,7%”. Em relação aos leitos de UTI/Covid, há uma mudança no perfil dos ocupantes destas unidades. Isso porque houve uma redução ou uso dos leitos para atendimento de outros problemas de saúde que não são infecções por coronavírus.

“O cenário atual ratifica o arrefecimento da carga colocada pela Covid-19 sobre o sistema de saúde e, mais especificamente, sobre leitos de alta complexidade”, explica o Observatório. A Fiocruz finaliza seu estudo com a afirmação de que, embora o número de internações tenha “diminuído substancialmente”, estes casos ocorrem proporcionalmente mais entre a população de maior faixa etária e, por isso, é necessário “ter atenção especial ao estímulo para a vacinação entre os idosos, já que para eles está disponível a quarta dose da vacina, e as crianças de 5 a 11 anos, para as quais a cobertura vacinal ainda cresce de forma muito lenta”.