Brumadinho: sétimo dia tem 99 mortos e aumento de dificuldades nas buscas

  • Por Jovem Pan
  • 31/01/2019 09h57 - Atualizado em 31/01/2019 10h04
Lincon Zarbietti/Estadão ConteúdoMilitares experientes relatam que há dificuldades devido ao acúmulo de lama, que chega a 10 metros de profundidade em alguns pontos

No sétimo dia de buscas por vítimas da tragédia causado pelo rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, os Bombeiros contabilizam 99 mortos e 259 desaparecidos. O número de vítimas aumenta na proporção que a esperança diminui.

Militares experientes relatam que há dificuldades devido ao acúmulo de lama, que chega a 10 metros de profundidade em alguns pontos. Os trabalhos de resgate começam às 4 da manhã e vão até a noite.

Nos dois últimos dias, as buscas se concentraram no local onde ficava o antigo refeitório da Vale. Nesta quarta (30), tropas enviadas de São Paulo também começaram a atuar em outros seis pontos de monitoramento. As atividades ainda foram reforçadas por 58 voluntários.

A represa, que pertence à Vale, rompeu na última sexta (25), liberando 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos minerais na região. A área administrativa da empresa foi a principal atingida, mas casas, propriedades rurais e estabelecimentos da cidade também foram afetados.

Com Agência Brasil