Caiado revela preocupação com revolta da sociedade em razão da corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2016 15h59
Ronaldo Caiado

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse, em entrevista exclusiva à Jovem Pan, que a matéria do pacote anticorrupção irá, por iniciativa dos senadores, para a Comissão de Constituição e Justiça. O objetivo, de acordo com o parlamentar, é fazer com que não haja nenhum esquema que possa prejudicar ações anticorrupção.

“Nós vamos convocar principalmente a Academia Brasileira, os grandes pensadores, para que possam apresentar as suas ideias, propostas, discutir o tema sem que haja nenhuma possibilidade de pairar sobre a cabeça do cidadão brasileiro qualquer gesto de esperteza ou tentar acobertar quem quer que seja. Ou tentar penalizar, ou impedir a tramitação, não só da Lava Jato, mas qualquer processo amanhã que venha a penalizar qualquer agente público no país”, contou o senador.

Caiado disse ainda que, em um momento que temos um país conflagrado, existe a preocupação de uma revolta da sociedade e destacou a necessidade que cada instituição saiba da sua responsabilidade com a democracia.

“No momento que não está tendo habilidade, inteligência e, muito menos, tolerância por parte dos poderes constituídos, nós podemos provocar um quadro que amanhã, faltando essa interlocução, mostre para a sociedade uma total desordem entre as instituições que devem ter a responsabilidade de poder finalizar a crise, com combate à corrupção e também ao mesmo tempo uma boa gestão”, disse Caiado.

“Se isso tudo não tiver uma sinalização clara pra sociedade, a sociedade pode, desacreditando das instituições constituídas, entrar em um processo de desobediência civil. Uma ruptura completa das normas democráticas. Essa é a minha preocupação maior. É o momento de não querermos acirrar os ânimos. É momento de nós não querermos aceitar com que cada instituição haja como uma corporação, e sim que cada instituição saiba da sua responsabilidade com a democracia”, completou.

Confira no áudio acima a entrevista completa do senador Ronaldo Caiado, líder do DEM no Senado Federal.