Câmara de SP aumenta orçamento próprio e reduz repasse a ônibus

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2018 16h55
Fotos PúblicasVereadores reduziram em R$ 2 bilhões a previsão de gastos com frota de ônibus

Vereadores aprovaram em primeira votação a lei do orçamento da cidade de São Paulo para 2019, na noite de quinta-feira (6). O texto prevê aumento de gastos com a manutenção da Câmara Municipal e reduz valores gastos pela cidade com subsídios a ônibus. A proposta precisa ser votada duas vezes e as discussões devem continuar até a última semana do ano.

No total, os vereadores previram um orçamento de R$ 60,4 bilhões para o ano que vem. O total é 7% maior do que o orçamento deste ano – de R$ 56,4 bilhões.

Uma das áreas “beneficiadas” é justamente o legislativo da capital. A proposta feita pela gestão do prefeito Bruno Covas (PSDB) precisa gasto de R$ 638,7 milhões por ano com vereadores, assessores e gratificações, mas eles resolveram acrescentar mais R$ 52 milhões, chegando a R$ 690,7 milhões.

No Tribunal de Contas do Município (TCM), vinculado à Câmara, os parlamentares sugeriram – e aprovaram – um aumento de R$ 22 milhões em relação à proposta original e agora o orçamento será de R$ 290 milhões em 2019.

Custeio da frota de ônibus

Apesar do aumento “em causa própria”, os vereadores reduziram a previsão de gastos para o custeio de ônibus de São Paulo. Com tarifa a R$ 4, a cidade deve encerrar este ano com de R$ 3 bilhões gastos com subsídios à operação da frota.

O plano de Covas era manter as despesas mais ou menos no mesmo nível e propôs gastar R$ 2,9 bilhões com coletivos. O valor foi reduzido para R$ 2,7 bilhões na Câmara. Para vereadores, a nova licitação do setor – lançada na quinta – vai permitir a diminuição desses gastos no ano que vem. A próxima votação deve acontecer até 30 de dezembro.

*Com informações do Estadão Conteúdo