Câmara retira da reforma política percentual que daria R$ 3,6 bilhões a fundo eleitoral

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2017 21h04
Brasília - Deputados realizam sessão para votação da MPV 752/2016, no plenário da Câmara. Foto: Marcelo Camargo/Agência BrasilO trecho gerou bastante repercussão após a divulgação de que o número para 2018, que seria de 0,5% da receita corrente líquida do ano, era de R$ 3,6 bilhões

A Câmara dos Deputados decidiu na noite desta quarta-feira (23), por 441 votos a um, da deputada Geovania de Sá (PSDB-SC), retirar do projeto da reforma política a polêmica parte do percentual que estabeleceria o valor do fundo público eleitoral para campanhas. O trecho gerou bastante repercussão após a divulgação de que o número para 2018, que seria de 0,5% da receita corrente líquida do ano, era de R$ 3,6 bilhões.

Com a decisão, os deputados pretendem chegar a um consenso para aprovar um destaque que definiria este número em uma Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso no ano que antecede cada eleição.

Além disso, os parlamentares adiaram a definição do “distritão” para as eleições de 2018. Assim como nas sessões anteriores, os deputados não chegaram ao consenso sobre a forma de votação. Uns defendem o fatiamento do relatório em blocos, enquanto outros querem a votação em cima do texto-base completo. O deputado Sílvio Costa (PtdoB-PE) chegou a trocar acusações com o líder do PDT, deputado Weverton Rocha (PDT-MA).

Após o impasse, ficou definido que a votação seria sobre cada um dos destaques.