Campos diz que PSB fará eleição “limpa” e que espera debate elevado

  • Por Agência Brasil
  • 13/05/2014 21h18

O presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, disse hoje (13) que o partido irá contribuir com a Justiça Eleitoral e fazer uma eleição limpa. Campos participou da posse do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Vim desejar êxito à sua gestão [de Toffoli] na Justiça Eleitoral e reafirmar o compromisso do PSB de fazer uma campanha limpa, propositiva e que a gente possa fazer uma eleição tranquila”, disse Campos.

Campos afirmou que espera que o debate seja elevado. “O Brasil é um país democrático, tem uma Justiça Eleitoral respeitada e tenho confiança que o ministro Dias Toffoli saberá conduzir com isenção o processo eleitoral”, disse.

De acordo com o ex-governador de Pernambuco, a convenção partidária para a escolha do candidato do partido à Presidência da República será realizada no dia 29 de junho. “A reunião da Executiva [do partido, realizada hoje] marcou a data da convenção nacional. O encontro do partido será dia 28 e a convenção dia 29”, sintetizou Campos.

Com a posse, Toffoli passa a ocupar o lugar do ministro Marco Aurélio Mello. Ele comandará a Justiça Eleitoral durante a campanha e as eleições de outubro deste ano, tendo como vice-presidente o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

A votação foi simbólica, pelo fato da presidência ser ocupada por ordem de antiguidade entre os três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que também compõem o TSE.  Além de Toffoli, que passou a integrar o tribunal em , 2012, Mendes e Luiz Fux também pertencem ao Supremo. Dois ministros oriundos do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e dois membros da advocacia completam a composição do TSE.

Especialista em Direito Eleitoral, Toffoli tem 46 anos e é ministro do STF desde 2009. Antes, foi advogado-geral da União e subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil. Também foi advogado do PT nas campanhas eleitorais do ex-presidente Lula, em 1998, 2002 e 2006.