Cármen Lúcia mantém veto à anulação de redação contra os direitos humanos

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2017 13h51 - Atualizado em 04/11/2017 13h51
Rovena Rosa/Agência BrasilSTF mantém decisão do TRF1, que diz que redações contrárias aos direitos humanos poderão ter um desconto de no máximo 200 pontos.

A presidente do Supremo Tribunal Federal negou neste sábado (4) pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e da Advocacia-Geral da União (AGU) de permitir que o Ministério da Educação dê nota zero às redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que ferirem os direitos humanos.

Assim, a prova que for considerada ofensiva aos princípios não poderá ser anulada, o que mantém decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Deste modo, redações contrárias aos direitos humanos poderão ter um desconto de no máximo 200 pontos.

As provas do Enem ocorrem neste domingo (5) e no próximo (12) em todo o Brasil e são consideradas a principal porta para o Ensino Superior no País.

Nota do Enem seleciona 57,7% dos alunos do ensino superior público

Cerca de 19% dos candidatos ao Enem ainda não acessaram o cartão de inscrição