Carnaval no Rio de Janeiro registra 540 atendimentos médicos na Sapucaí

Na segunda noite de desfiles do Grupo Especial, 19 pacientes foram encaminhados em estado mais grave para unidades de saúde; famosos sofrem mal-estar

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2024 09h02 - Atualizado em 13/02/2024 09h03
PEDRO KIRILOS/ESTADÃO CONTEÚDO Carnaval no Rio de Janeiro Desfile da Unidos do Viradouro, escola de samba de Niterói, no Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro 2024

Na segunda noite de desfiles do Grupo Especial do Carnaval no Rio de Janeiro, 540 pessoas receberam atendimento médico no Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Os dados são da secretaria municipal de Saúde. Dos atendimentos, 19 pacientes foram encaminhados em estado mais grave para unidades de saúde, incluindo duas mulheres que caíram de um carro alegórico na área da dispersão e foram levadas para o Hospital Municipal Souza Aguiar com suspeitas de fraturas e traumas. O número de atendimentos nesta terça-feira, 13, foi menor do que registrado na primeira noite do Grupo Especial, quando 550 pessoas haviam sido socorridas até às 4h.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

A secretaria de saúde aponta que o calor, o esforço do desfile combinado com fantasias pesadas, a falta de alimentação e hidratação adequadas, além do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, foram os principais motivos dos atendimentos. Além disso, alguns famosos também precisaram de atendimento na Sapucaí. No domingo, Valesca Popozuda passou mal após o desfile da Porto da Pedra. Já nesta segunda noite, o carnavalesco Paulo Barros e o puxador Tinga, ambos da Vila Isabel, também tiveram mal-estar durante a festa.

Publicado por Caroline Hardt

*Reportagem produzida com auxílio de IA

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.