Casal de marqueteiros do PT é indiciado pela Polícia Federal

  • Por Agência Estado
  • 23/03/2016 14h11
PR - LAVA-JATO-MARQUETEIRO-PT-ESPOSA-PRISÃO - GERAL - O marqueteiro do PT, João Santana (d) e sua esposa Monica Moura (e) chegam ao Instituto Médico Legal de Curitiba (PR), após serem presos durante a 23ª fase da Operação Lava Jato da Polícia Federal, nesta terça-feira (23). A operação investiga desvios de dinheiro na Petrobras. 23/02/2016 - Foto: CASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Estadão Conteúdo João Santana e Monica Moura (AE)

A Polícia Federal indiciou criminalmente o casal de marqueteiros do PT, João Santana e Mônica Moura, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e participação na organização criminosa que desviada recursos da Petrobras. Os dois serão denunciados na próxima semana pela força-tarefa da Operação Lava Jato ao juiz federal Sérgio Moro.

Os dois são acusados pelo recebimento de US$ 7,5 milhões, entre 2012 e 2014, do esquema de corrupção descoberto pela Lava Jato na Petrobras. O dinheiro foi depositado em conta secreta que Santana e a mulher mantinha na Suíça, em nome da offshore Shellbill Finance. Os valores foram pagos pela empreiteira Odebrecht. 

Na terça-feira, 22, o presidente afastado do grupo Marcelo Bahia Odebrecht anunciou a intenção de fazer delação premiada – e pelo operador de propinas Zwi Skornicki.

Veja os indiciados pela PF na Operação Acarajé

João Cerqueira de Santana Filho (marqueteiro do PT) – lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa

Mônica Moura (marqueteiro do PT) – lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa

Zwi Skornicki (operador) – corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa

Bruno Skornicki (operador) – lavagem de dinheiro

Eloisa Skornicki (operador) – corrupção ativa e manutenção de conta não declarada

Pedro Barusco (Petrobras) – corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Renato Duque (Petrobras) – corrupção passiva

Armando Ramos Tripodi (Petrobras) – corrupção passiva