Caso João de Deus: força-tarefa investiga denúncias de tráfico internacional de crianças

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2019 20h17
PAULO GIOVANNI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDONovos depoimentos serão analisados e receberão os encaminhamentos cabíveis

Integrantes da força-tarefa do Ministério Público de Goiás que investiga João Teixeira de Faria, o médium João de Deus, continuam colhendo depoimentos de vítimas e testemunhas. Agora, no entanto, além de abuso sexual, eles apuram outros possíveis crimes praticados pelo investigado, entre eles de tráfico internacional de crianças.

Nesta semana, as promotoras Patrícia Otoni e Gabriella de Queiroz, do MP-GO, e a delegada Karla Fernandes Guimarães, da força-tarefa da Polícia Civil, colheram depoimentos das ativistas de Direitos Humanos Sabrina Bittencourt e Maria do Carmo, que relataram ter conhecimento desses crimes. O depoimento de Sabrina deve ter continuidade na quarta (9).

Assim que concluídos, os depoimentos serão analisados e receberão os encaminhamentos cabíveis, inclusive com possível remessa ao MPF na parte afeta à sua atribuição. “Os fatos narrados serão tratados com a mesma seriedade e celeridade dispensadas aos demais casos já denunciados e em apuração pelo Ministério Público”, afirmou Otoni.

João está preso em caráter preventivo desde 16 de dezembro, quando se entregou às autoridades policiais. Ele está em uma cela de 16 metros quadrados do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. O médium é acusado de ter cometido crimes de abusos sexuais contra mulheres que frequentaram a casa onde oferece atendimento espiritual. O Ministério Público apura mais de 250 casos. Ele nega as acusações.