Centrão e base do governo fazem acordo para votar crédito extra

  • Por Jovem Pan
  • 10/06/2019 20h29
Agência Brasil Vista noturna do Congresso O acordo foi feito com o compromisso de liberação de recursos adicionais

O relator do projeto do crédito suplementar, deputado Hildo Rocha (MDB), assegurou nesta segunda-feira (10) que os partidos do Centrão e da base do governo chegaram a um acordo para votar nesta terça-feira (11) o pedido de crédito extra. As informações são da revista virtual Crusoé.

O acordo foi feito com o compromisso de liberação de recursos adicionais para o Minha Casa Minha Vida, para a conclusão de obras no Rio São Francisco e para a defesa civil.

Em entrevista concedida na semana passada ao Jornal Jovem Pan, Rocha alertou que o precisava fazer “uma articulação bem feita” para atender aos pedidos pelo menos de parte das lideranças dos partidos no Congresso.

Ele citou como exemplo a retirada dos contingenciamentos das verbas da educação e, consequentemente, das bolsas de mestrado e doutorado, medidas pleiteadas pela oposição. “Eu acredito que o governo deve negociar com a oposição”, frisou.

Votação

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) adiou a votação do crédito suplementar, que seria na última quarta-feira (5), para esta terça. A sessão foi prorrogada após partidos do Centrão e da oposição se unirem para pedir a verificação do quórum e impedir a votação. O pedido foi feito pelo PL e apoiado por PT e PCdoB.

O governo solicitou ao Congresso a abertura de um crédito extra no valor de R$ 248,9 bilhões para garantir o pagamento de programas como Bolsa Família, Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Plano Safra sem descumprir a chamada regra de ouro – que impede a emissão de dívida para pagar despesas correntes, como salários.