Cerimônia marca ativação de última turbina de Belo Monte; usina inicia operação completa

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2019 18h34
Alan Santos/PREvento contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro

A 18ª — e última — turbina da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, a maior usina 100% brasileira, foi ativada em cerimônia realizada em Vitória do Xingu (PA) com a presença do presidente Jair Bolsonaro. O acionamento da turbina também marcou a inauguração oficial do empreendimento, que poderá operar com capacidade total, de 11.233,1 megawatts (MW), e quantidade média de geração de energia de 4.571 MW.

Os estudos de viabilidade para a implantação da usina começaram em 1975, mas a obra só foi iniciada em 2011, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, e durou pouco mais de oito anos. O contrato de Belo Monte, arrematada em leilão pelo consórcio Norte Energia, é de 35 anos, com data inicial de agosto de 2010.

Orçada em R$ 19 bilhões, a construção da usina foi praticamente toda financiada com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a energia gerada por Belo Monte vai atender cerca de 18 milhões de residências, o que equivale a uma população de 60 milhões de pessoas em todos os estados do país.

“A produção de energia de Belo Monte representa 7% da capacidade total da produção brasileira. Com todas as unidades geradoras da usina funcionando simultaneamente, são capazes de suprir 10% da demanda do mercado nacional”, destacou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. O ministro ainda lembrou que, durante as obras, foram gerados mais de 30 mil empregos diretos.

A área alagada da usina é de 478 quilômetros quadrados (km²). Os reservatórios ficam localizados entre os municípios de Altamira, Brasil Novo e Vitória do Xingu. Já a área de abrangência da usina ainda alcança outros dois municípios: Anapu e Senador José Porfírio.

*Com Agência Brasil