Chefe de gabinete de Temer revela que presidente tinha ‘prática’ de encontros fora da agenda

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2018 10h46 - Atualizado em 23/08/2018 10h48
EFE/Joédson AlvesSegundo Nara, Temer tinha "a prática de receber pessoas sem observar o rigor da agenda oficial"

A chefe de gabinete do presidente Michel Temer (MDB), Nara de Deus, foi ouvida na última sexta-feira (17) pela Polícia Federal no âmbito do inquérito da Odebrecht, que apura negociação de R$ 10 milhões da empreiteira com o MDB em 2014. O encontro ocorreu em um jantar no Palácio do Jaburu. As informações são da jornalista Andréia Sadi.

O jantar contou com a presença de executivos da Odebrecht, Michel Temer – vice de Dilma Rousseff na época – e Eliseu Padilha, atual ministro da Casa Civil. O emedebista já revelou à PF que não tem a “menor ciência” do suposto acerto do partido com a empreiteira.

Durante o depoimento, Nara disse que tomou conhecimento dos acontecimentos pela imprensa e “que tal reunião não foi agendada pela depoente, esclarecendo que a administração da agenda oficial do então vice-presidente era tarefa afeta à depoente”.

Nara ainda revelou que, “por características pessoais”, o presidente sempre foi “muito receptivo”, desde quando era parlamentar. “Esse comportamento acessível era, inclusive, traço marcante de sua atividade política”, manifestou.

Ainda no depoimento, a chefe de gabinete confirmou que “essa abertura” não cessou quando Temer assumiu o cargo de vice-presidente. Segundo ela, Temer tinha “a prática de receber pessoas sem observar o rigor da agenda oficial”. “Portanto, muitos encontros podem ter sido realizados sem o conhecimento da depoente”, finalizou.