Chefe do parlamento polonês renuncia após usar aviões do governo para viagens pessoais

Imprensa local noticiou que Marek Kuchcinski usou as aeronaves para se deslocar com parte da família

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2019 15h44
Marcn Obara / EFE

O presidente do parlamento da Polônia, Marek Kuchcinski, renunciou ao cargo nesta quinta (8), após a imprensa local ter noticiado que ele e parte da família usaram aviões do governo para viagens pessoais, um escândalo que vem à tona semanas antes das eleições gerais no país.

Kuchcinski divulgou a renúncia em discurso na sede de seu partido, Lei e Justiça – que governa a Polônia com maioria absoluta desde 2015 -, e ao lado do líder do grupo, Jaroslaw Kaczynski.

O ainda presidente do Parlamento, já que a renúncia só entrará em vigor a partir da sexta-feira, explicou que nunca contrariou a lei e justificou o uso frequente de aviões do governo com a intenção de conhecer a realidade das pequenas localidades polonesas afastadas da capital, Varsóvia.

“Mas acredito que renunciar às minhas funções é o melhor, já que a opinião pública avaliou negativamente o meu comportamento”, acrescentou.

Kuchcinski também sugeriu a criação de uma regulação “mais clara” para o uso dos aviões governamentais, de modo que os demais representantes de instituições públicas evitem este tipo de situação.

A renúncia chega semanas antes das eleições gerais polonesas, que serão realizadas em 13 de outubro, e nas quais o partido governante aparece como favorito em todas as pesquisas.

A luta contra a corrupção é uma das bandeiras eleitorais do Lei e Justiça, que acusa o rival liberal Plataforma Cidadã de ter favorecido a corrupção durante os oito anos que governou o país, entre 2007 e 2015.

Com Agência EFE