Cid Gomes e Wilson Witzel também foram alvo de hackers

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2019 09h32
DHAVID NORMANDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOWitzel era um dos alvos de hackers que invadiram celulares de autoridades

O senador Cid Gomes (PDT-CE) também foi alvo de Walter Delgatti Neto, apontado pela Polícia Federal como chefe do esquema dos hackers que tentou ou acessou centenas de mensagens trocadas pelo Telegram por autoridades.

Ao ser informado pelo jornal O Estado de S. Paulo, Cid disse que isso reforça sua posição de que é preciso investigação ampla em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). “Ao que parece, são quatro pessoas que estão muito longe de serem especialistas. Se estão fazendo isso, pessoas com maior conhecimento podem fazer muito mais”, afirmou.

Um laptop atribuído a Delgatti analisado pela Polícia Federal mostra dezenas de atalhos, em sua área de trabalho, com nomes de autoridades.. Lá aparecem “Witzel”, possivelmente o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), e o ex-governador do Rio Luiz Fernando Pezão (MDB), preso pela Lava Jato. A PF apura quem teve mensagens capturadas, de fato, ou se houve apenas uma tentativa.

Segundo o jornal, o hacker detinha em seu poder os números de telefone de parte da cúpula do governo Bolsonaro – entre eles o do general Luiz Eduardo Ramos, que acabou de ser nomeado ministro da Secretaria de Governo, e do vice-presidente Hamilton Mourão, além do general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

O Estado teve acesso ainda a uma lista de 60 nomes que foi encontrada no computador pessoal de Delgatti, além de uma série de diálogos trocados por ele com um amigo. As pastas criadas para cada um dos alvos estão sob análise da perícia da PF. O jornal não obteve o conteúdo de mensagens trocadas entre os interceptados.

*Com Estadão Conteúdo