Ciro Gomes: bancada do PDT no Senado traiu orientação do partido na PEC do teto

  • Por Estadão Conteúdo
  • 14/12/2016 14h56
Brasilia -O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) fala aimprensa apos almoço reservado a candidata do PT à Presidência, Dilma RousseffCiro Gomes - ABR

Pré-candidato a presidente da República em 2018 pelo PDT, o ex-ministro Ciro Gomes afirmou nesta quarta-feira (14) que a bancada de seu partido “traiu a confiança e orientação” da legenda ao votar a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria um teto para os gastos públicos da União por 20 anos.

A matéria foi aprovada na última terça-feira (13) em segundo turno, pelo Senado Federal e seguiu para promulgação. A proposta foi aprovada por 53 votos a 16, com votos favoráveis de todos os três senadores do PDT: Lasier Martins (RS), Pastor Valadares (RO) e Telmário Mota (RR). 

“Infelizmente, a bancada do PDT no Senado traiu a confiança e a orientação do partido e votou a favor desta criminosa emenda”, afirmou Ciro, em nota, lembrando que o partido se posicionou publicamente contra a PEC do Teto. Ele disse confiar que a executiva nacional do PDT delibere em breve “sobre como reagir a esta posição da bancada”.

“A aprovação da PEC 55 pelo Senado revoga a constituição brasileira, joga nas costas do povo mais sofrido do Brasil a responsabilidade de arcar com a tragédia pela qual passa nossa economia e satisfaz unicamente os interesses daqueles que lucram com os abusivos juros brasileiros”, acrescentou Ciro. 

Na nota, o ex-ministro disse ainda que a PEC vai de encontro à história do PDT, baseada no “trabalhismo” de Getulio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola, “que lutaram e contribuíram para a conquista de inúmeros benefícios aos trabalhadores brasileiros”.