Colaborador de vereador ouvido no caso Marielle é morto no Rio

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2018 11h24 - Atualizado em 09/04/2018 11h25
Reprodução/FacebookCarlos Alexandre Pereira Maria, morto neste domingo, andava com colete de vereador carioca com supostas ligações a milicianos e atuava em comunidades

O corpo de Carlos Alexandre Pereira Maria, de 37 anos, foi encontrado em um carro na Estrada Curumau, em Boiúna, no Rio de Janeiro.

Alexandre, que era colaborador do vereador Marcelo Siciliano (PHS), foi morto a tiros na noite deste domingo (8), informa o jornal Extra. A investigação dele com uma milícia era investigada no caso do execução da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Gomes.

Testemunhas relataram à Polícia Militar que antes de atirar contra Alexandre, um dos assassinos disse: “Chega pra lá, que a gente tem que calar a boca dele”.

Siciliano informou, por meio de assessoria, que o homem executado neste fim de semana era líder comunitário na zona oeste da capital fluminense e coletava necessidades dos moradores, repassando-as ao parlamentar. Alexandre usava um colete com o nome do vereador.

Marcelo Siciliano ficou três horas na Delegacia de Homicídios, onde foi ouvido no caso Marielle, cuja investigação está sob sigilo. No mesmo dia foram ouvidos Zico Bacana, do mesmo partido (PHS), e Chiquinho Brazão (MDB), que também têm os nomes ligados aos milicianos.

O vereador já foi citado em relatório da Polícia Civil sobre a influência da milícia em Jacarepaguá nas eleições de 2014.

Ao menos seis vereadores já prestaram depoimentos no caso Marielle, entre amigos da ex-vereadora e adversários políticos.